Casais oficializaram a união durante a 13ª edição da Parada LGBTIQ+, realizada em Florianópolis

Vitória e Maria, assim como André e Adriano disseram sim, sob os olhares da multidão, que se reuniu na Avenida Beira-Mar Continental.

Casais oficializaram união no trio elétrico durante parada gay — Foto: Rafaela Martins/Divulgação

Dois casais oficializaram a união durante a 13ª edição da Parada LGBTIQ+, realizada em Florianópolis, no domingo (8). Vitória e Maria, assim como André e Adriano disseram sim, em cima de um trio elétrico, sob os olhares da multidão, que se reuniu na Avenida Beira-Mar Continental. O evento recebeu cerca de 10 mil pessoas, conforme a Polícia Militar.

“A gente está muito emocionado por poder mostrar o nosso amor depois de tudo que passamos. Ter selado nossa união, com toda aquela galera nos abençoando, foi incrível. Poder mostrar para a galera que não importa quem você é, importa o que você é, como você ama”, diz o engenheiro de materiais, Adriano José de Vargas Raymundo.
André e Adriano se casaram no domingo (8) — Foto: Rafaela Martins/Divulgação

Também subiu no trio a madrinha do evento em Florianópolis, Rita Cadilac. “Não tem que ter homofobia. A gente tem que ter respeito. Eu sou hétero, mas eu respeito qualquer classe. Eu me considero uma trans porque eu vivo no meio delas. Eu quero respeito com todo ser humano”, pediu.

Essa é a primeira parada realizada em Florianópolis depois que o Brasil criminalizou a homofobia. “Eu acho que nossa força só cresce. Esse ano principalmente, em um ano de tanta repressão. Leis que podem ser negadas, tantas conquistas que nós já tivemos e a gente corre risco de perder. A nossa voz esse ano é importante para se tornar mais forte. Resistência, mostrar que estamos aqui e nossos poucos e precisamos ser respeitados”, defendeu a apresentadora da parada, Selma Light.

Essa edição fez uma homenagem aos 50 anos da Revolta de Stonewall, nome de um bar americano onde o público resistiu a invasão da polícia em 1969.

“Essa situação polícia deixou as pessoas mais fortes para virem para rua lutar. Hoje tivemos uma parada com mais garra, força. As pessoas com vontade mostrar que existem, resistem e estão aqui”, disse o organizador do evento, Miguel Gregório.

Celebração foi realizada em Florianópolis — Foto: Rafaela Martins/Divulgação

O evento começou por volta das 11h e terminou às 21h. O grupo se reuniu próximo a cabeceira da Ponte Hercílio Luz e seguiu em caminhada pela Avenida Beira-Mar Continental.

Entre os destaques, houve a participação da Escola de Samba Consulado, campeã do Carnaval 2019, apresentação de drags e shows.