Ato em defesa da educação e contra a reforma da Previdência são registrados em Santa Catarina

Em Joinville, no Norte catarinense, os manifestante se reuniram na Praça da Bandeira.

Foto: Reprodução

Estudantes de universidades públicas e privadas, além de trabalhadores, realizaram nesta terça-feira (13) um protesto em Joinville, no Norte do estado. Apesar da chuva, a manifestação começou por volta das 9h e durou duas horas na Praça da Bandeira. A manifestação é contra o contingenciamento na educação e a reforma da Previdência. Os atos também foram registrados em outros estados.

De acordo com a prefeitura da cidade, 261 funcionários estiveram ausentes nesta manhã, em função do protesto. Não houve bloqueio de trânsito na região.

O protesto foi convocado pelo sindicato dos trabalhadores da área da educação, saúde, metalúrgicos, bancários, entidades estudantis, e agremiações de universitários.

Cortes na Educação

Na quarta-feira (7), o Ministério da Educação bloqueou R$ 348,4 milhões que deveriam ser aplicados na produção, aquisição, distribuição de livros e de materiais didáticos e pedagógicos da Educação Básica, área considerada prioritária pelo ministro Abraham Weintraub.

Desde o início do ano, quando o governo do presidente Jair Bolsonaro anunciou cortes na área, esta é a terceira mobilização nacional pela educação. A primeira foi em 15 de maio e ocorreu em ao menos 222 cidades de todos os estados e do DF. A segunda ocorreu em 30 de maio, em pelo menos 136 cidades de 25 estados e do DF.

A pauta contra a reforma da Previdência tem sido recorrente em atos que envolvem críticas ao governo federal. A proposta de emenda à Constituição que altera as regras da Previdência foi enviada pelo Executivo ao Congresso. O texto já foi aprovado em dois turnos na Câmara e agora está sendo discutido pelo Senado.

JOINVILLE, 9h45: Manifestantes protestam contra cortes na Educação — Foto: Kleber Pizzamiglio/NSC TV